Alunos 1ª a 4ª séries > Profissões - Entrevista Interativa
 
início
minha página
índice
 

Roberta Silva Ratzke tem 17 anos e começou a treinar vôlei desde os 9 anos! Em pouco tempo, ela começou a se destacar e, desde julho de 2006, ela integra a seleção brasileira de vôlei infanto-juvenil!

Roberta Silva Ratzke

saiba mais +

 

1. Como você descobriu que queria ser jogadora de vôlei? Quem a incentivou a treinar?
Eu sempre gostei muito de ver os profissionais jogando. Quando eu era pequena, abriu uma escolinha de vôlei em Curitiba, o que chamou muito minha atenção. Na ocasião, minha mãe me incentivou a cursá-la! Acabei passando no teste e me apaixonando pelo vôlei.

2. Como é seu dia-a-dia e como você treina?
Pela manhã, vou para o colégio. Após o almoço, preciso ir para a academia, onde faço 2 horas de musculação. Logo depois da academia, tenho treino com bola, que dura cerca de 2 horas, um pouquinho mais.

3. Qual é a sensação de vencer um jogo? Como foi conquistar um título defendendo a seleção brasileira de vôlei infanto-juvenil?
A sensação de vencer um jogo é a melhor possível! Nesse momento, você sente que todo o seu treino e o seu esforço valeram a pena, ainda mais com a conquista da vitória em um importante campeonato. Para começar, só a satisfação de poder vestir a camisa da seleção brasileira já é uma grande glória. Sem contar a oportunidade de viajar representando nosso país. Ganhar um campeonato que nos coloca como a melhor seleção da América do Sul é algo incrível! Só quem esteve lá pôde perceber realmente o que sentimos.

4. Você fica nervosa antes de cada jogo?
Sim, um pouquinho. Lógico que há jogos em que ficamos mais nervosas do que em outros, mas o nervosismo e aquele “friozinho na barriga’’ sempre aparecem. Porém, quando essas sensações são bem controladas, é bom senti-las!

5. Alguns treinadores ficam irritados quando os jogadores erram. Você já levou muita bronca?
Sim, muitas! Até já perdi a conta de quantas broncas levei. Mas isso é algo que sempre ocorrerá, pois os técnicos irão brigar, gritar, pegar no pé em qualquer lugar, em qualquer time. Temos que nos acostumar com isso. No início, é meio chato ouvir uma pessoa gritando com você, mas logo você entende que isso é preciso e, muitas vezes, é até bom para a gente.

6. De modo geral, quanto tempo dura a carreira de uma jogadora de vôlei?
Geralmente, uma jogadora de vôlei pode exercer sua profissão até completar 34 anos, por aí. Claro que algumas pessoas resolvem parar antes, mas quem realmente gosta, vai até o seu limite.

7. Você deseja seguir carreira ou pretende parar de jogar vôlei? Por quanto tempo você acha que irá jogar?
Sim, desejo seguir carreira. Quero jogar até quando não agüentar mais ou quando me disserem que já estou velha demais para competir. Meu sonho é fazer parte da seleção brasileira de vôlei feminino, na categoria adulta. Mas se não for possível, jogar em outro time de jogadoras adultas já estaria bom demais.

8. Você já pensou em ser técnica de vôlei?
Não. Acho que ser jogadora e ser técnica são atividades muito diferentes. Para exercer a função de técnica, é preciso ter muita paciência com os atletas, acho que eu não me daria bem nesse cargo.

9.Se não fosse jogadora de vôlei, o que você gostaria de ser?
Fisioterapeuta. É um sonho que tenho desde criança, futuramente quero poder conciliar esse curso com o vôlei.

10. Qual é a diferença entre jogar vôlei de praia e de quadra?
Existem muitas diferenças: as medidas das quadras e as regras são diferentes, o vôlei de praia é jogado em duplas e o de quadra não, o vôlei de praia exige melhor preparação física do esportista e é jogado ao ar livre, por isso o vento e o sol atrapalham um pouco.

11. Existem escolas de vôlei? Que dicas você poderia dar para quem deseja começar a jogar?
Sim, existem várias escolas de vôlei. Você precisa gostar muito desse esporte e estar preparado para tudo, pois, às vezes, você pode não gostar de alguns técnicos ou de colegas que jogam com você, mas isso é o que menos importa; você não deve dar valor a esses aspectos. Se é isso mesmo que você quer, corra atrás do seu objetivo e não deixe que ninguém lhe prove ou fale o contrário.

Veja quem participou da entrevista!