INÍCIO > Ed. física
 início
 minha página
 índice
Calcule seu gasto energético
 
Home Educação Física
 
 Outros artigos







   TREINAMENTO DE RESISTÊNCIA  

por Gilson Brun


A resistência tem fundamental importância em várias atividades esportivas, tanto coletivas como individuais. Ela é a capacidade que permite a um atleta sustentar por um longo período de tempo uma atividade física em condições aeróbicas ou anaeróbicas.
Podemos também definir resistência como a capacidade que se opõe à fadiga. Se uma pessoa realiza um esforço com determinada intensidade em um período de tempo relativamente prolongado sem sentir os sintomas da fadiga, isso significa que ela tem uma boa resistência. Dependendo da área, a resistência se desenvolve em diferentes magnitudes e com variadas características.

TREINAMENTO DE RESISTÊNCIA: OBJETIVOS

O treinamento de resistência tem determinados objetivos, que servirão para otimizar o rendimento da atividade esportiva. Dentre os principais, podemos destacar:

- Otimizar, de maneira estável, os diferentes aspectos que estruturam a resistência específica do esportista, pela utilização correta dos fundamentos específicos de cada modalidade e do seu sistema metabólico (metabolismo aeróbico ou anaeróbico).

- Desenvolver a capacidade de manter durante a competição uma elevada magnitude de trabalho, dificultando o máximo possível a chegada da fadiga muscular.

- Suportar uma variedade de velocidades e intensidades no desenvolvimento do esforço durante os exercícios.

- Estruturar os diferentes componentes do rendimento específico de tal maneira que exista um adequado equilíbrio entre eles.

- Estabelecer uma condição psicológica equilibrada e razoável durante a competição.

TREINAMENTO DE RESISTÊNCIA: MODIFICAÇÕES FUNCIONAIS

O treinamento provoca certas modificações somatofuncionais, que, em certos casos, são de elevada magnitude, especialmente nos atletas mais dotados ou mais sensíveis ao treinamento de resistência.

Entre as principais podemos citar:
Modificações no sistema respiratório

- Aumento da capacidade vital;
- Aumento do volume minuto inspirado;
- Aumento do equivalente respiratório;
- Aumento do quociente respiratório;
- Melhorias na perfusão e na difusão pulmonar;
- Aumento na diferença arteriovenosa.

Atletas altamente treinados em atividades de resistência apresentam uma dinâmica respiratória diferenciada e um notável aumento na capacidade cardiovascular que os distinguem de todos os outros esportistas e de pessoas de vida sedentária.

Modificações no sistema cardiovascular

- Alterações na silhueta cardíaca;
- Aumento do volume sistólico;
- Aumento do volume minuto;
- Diminuição da freqüência cardíaca para uma mesma carga de trabalho;
- Aumento de duração tanto da sístole quanto da diástole;
- Diminuição da necessidade de oxigênio por parte do miocárdio para uma mesma carga de trabalho;
- Aumento da rede capilar;
Igual ou maior número de hemoglobinas.

Modificações no sistema muscular
O sistema muscular é considerado de maior relevância do que os outros sistemas citados anteriormente, tendo em vista o seu amplo envolvimento em todas as situações. A fibra muscular é responsável por auxiliar tanto o sistema respiratório quanto o cardiovascular no trabalho mecânico.

- Melhorias no consumo de oxigênio;
- Oxidação do NADH+;
- Remoção do lactato residual;
- Melhoria na dinâmica enzimática mitocondrial;
- Aumento no conteúdo energético celular.


CONCLUSÃO
O treinamento de resistência em seus diferentes níveis melhora o rendimento dos vários sistemas de funcionamento do organismo. Veja abaixo algumas alterações que podem exemplificar essa melhoria:
- O atleta pode atingir maiores intensidades na capacidade aeróbica sem a formação de altos níveis de lactato.
- Ocorre uma economia de "combustível", devido à utilização das reservas de ácidos graxos livres, com uma vantajosa economia de glicose.
- Intensifica-se a remoção de lactato e a formação de substratos energéticos.