Eunice Baía é protagonista do filme Tainá, uma aventura na Amazônia











Da floresta para a selva de pedra

No dia em que completou oito anos, Eunice Baía recebeu uma notícia que mudaria sua vida. Ela fora selecionada, entre três mil crianças, para ser a protagonista do filme Tainá, uma aventura na Amazônia. Tornar-se artista de cinema era, para a garotinha, algo tão remoto quanto o lugar em que morava — uma casinha sem luz elétrica e distante duas horas de barco de Belém. Descendente de índios, ela e mais oito irmãos dividiam o mesmo teto na Vila do Conde, município de Barcarena/PA.

Eunice cativou a todos com sua pureza e meiguice e mostrou ser um talento nato. Mesmo sem ter qualquer experiência como atriz, decorou suas falas antes mesmo de aprender a ler. Ela pôs os pés na escola pela primeira vez em 1998, em Manaus, cidade para onde foi levada para gravar o filme. Habituada com a vida ao ar livre, ela esbanjou espontaneidade para andar descalça pela floresta. Ficou à vontade até para enfrentar as cenas "mais difíceis", quando teve de segurar cobras e jacarés.

Para fazer a seleção e a preparação de Eunice, foi escalada a atriz e diretora de teatro Fátima Toledo. Fátima já trabalhara com outros jovens atores, como o menino de rua Fernando Silva Ramos, que fez o papel de Pixote, e o ex-engraxate Vinícius de Oliveira, o Josué de Central do Brasil.

No filme, Tainá é uma indiazinha órfã que vive com seu avô, Tigê. Ele lhe conta as lendas de seu povo e a ensina a respeitar a natureza. Ela aprende que o tucano, o macaco e a tartaruga fazem parte de sua família tanto quanto Tigê. Por isso, Tainá passa o dia desarmando armadilhas colocadas na floresta pela quadrilha de Shoba, um traficante de animais. Os caçadores pensam que o responsável por isso é Curupira, o defensor dos animais.

Quando descobrem que tudo não passa de esperteza da indiazinha, eles começam a persegui-la. Com a morte do avô, Tainá e o macaquinho Catú — seu companheiro inseparável — refugiam-se na vila onde moram a bióloga Isabel e seu filho Joninho. O menino tem medo dos bichos e só gosta de jogos eletrônicos e lanchonetes. A amizade com Tainá faz Joninho superar seus medos e aprender a entender os valores destes dois mundos: o da cidade e o da floresta.

A reviravolta na vida de Eunice é coisa de cinema. Hoje, aos 11 anos, mora em São Paulo e ganhou casa e família novas. Há dois anos, vive com a atriz Noêmia Duarte, que obteve a aprovação da mãe de Eunice e a guarda da criança de um juiz de Belém. Em vez dos animais silvestres com que convivia na Amazônia, seu bichinho de estimação hoje é Pepe, um cãozinho poodle. Para matar a saudade da floresta, plantou um pé de milho na varanda do apartamento que já lhe rendeu cinco espigas.

Assim como Joninho, Eunice teve que se habituar a valores que não eram os seus. Teve de se acostumar com o elevador, com o avião e com o assédio da imprensa depois que virou estrela de cinema. Ela está matriculada no segundo ano do Ensino Fundamental e tem aulas de arte dramática. Ela ajuda Noêmia (a quem chama carinhosamente de "Mamu") a decorar seus textos, mas não quer seguir a carreira da mãe adotiva: escolheu ser veterinária.