Brasilia - a capital de todos os brasileiros

Aeroporto Juscelino Kubitschek

 

Vista da rampa de embarque.

Em Brasília, o aeroporto chegou antes da cidade. A história começou com o 1.º Destacamento da FAB, que, sob orientação direta do presidente Juscelino Kubitschek, localizou e desmatou o terreno para construir a pista. Ali chegavam técnicos e material para a imensa tarefa de edificação da nova capital, numa área completamente despovoada e cercada de limitações.

Naquela época, o transporte terrestre sofria sérias restrições, pela ausência ou precariedade das rodovias, e o transporte aéreo se apresentava como solução capaz de impulsionar, em curto prazo, a realização do sonho de construir Brasília.

Aviadores, passageiros e pessoal de apoio de terra protegiam-se do sol por vezes implacável do Planalto Central à sombra das asas dos aviões, até que surgiu o primeiro terminal de passageiros, de madeira.

O primeiro projeto para a construção de um aeroporto moderno era de autoria de Oscar Niemeyer, mas a obra foi suspensa pelo regime militar por motivos políticos, causando uma polêmica que atraiu a atenção até mesmo da imprensa internacional. Foi, então, executado o projeto do arquiteto Tércio Fontana Pacheco. A obra, inaugurada em 1971, substituiu o velho terminal de madeira e a pista de terra batida. Em 1992, foi concluída a primeira etapa do atual e moderno terminal, com sua concepção transparente, idealizada pelo arquiteto Sérgio Parada. Em 1994, Itamar Franco inaugurou outra etapa, completando a ala norte.

Sala de espera e diversos tipos de loja dentro do aeroporto.

As obras incluíram nove pontes de desembarque, trinta novos balcões de atendimento, três novas esteiras rolantes de restituição de bagagem e um sistema de comunicações totalmente informatizado, tornando o aeroporto de Brasília o primeiro aeroporto inteligente da América Latina.

Várias companhias de viagem oferecem vôos nacionais para capitais e cidades importantes do país e vôos internacionais para Miami, Nova Iorque e Washington. Em 2001, segundo uma pesquisa, 6,2 milhões de pessoas passaram pelo aeroporto brasiliense e cerca de 119 mil pousos e decolagens foram registrados. Na época, a capital perdia em movimento apenas para os aeroportos de São Paulo (Congonhas e Guarulhos).

Praça de alimentação.

Aos poucos, ele reafirmou a importância de Brasília entre as principais rotas de vôos nacionais e internacionais e fez com que a capital se transformasse na sede de um dos maiores e melhores aeroportos do Brasil.

Placa do aeroporto

Infra-estrutura

O aeroporto de Brasília tem duas pistas de 3.220 m e 2.468 m, dois terminais de passageiros com 91.563 m² e 3.264 m², com capacidade para 7,4 milhões de pessoas por ano e um estacionamento com 400 vagas. A área coberta ocupa 24.307 m² e a área total é de 28.930.835 m² (sem a nova pista).

Na construção do novo shopping do aeroporto, a Infraero investiu cerca de 15 milhões de reais. O espaço tem a função de entreter o passageiro durante as conexões, que podem durar de 3 a 8 horas. Localizado no terceiro andar, tem 12 mil m² com terraço, praça de alimentação, quatro salas de cinema com capacidade para 500 pessoas, lojas e espaços para exposições. Ao todo, são 136 estabelecimentos comerciais.

Após a última reforma, o Ministério do Turismo fez uma pesquisa e mostrou a qualidade dos serviços prestados no aeroporto de Brasília, cotando-o entre os dez melhores do Brasil.

Curiosidade

 

Francisco, funcionário do aeroporto há 26 anos, com uma jornada de doze horas diárias, encontrou, quando fazia a rotineira inspeção nos banheiros, uma bolsa de couro que continha 10 mil dólares, o equivalente a cerca de 30 mil reais. Sem hesitar, Francisco se dirigiu à chefia e, com um gesto exemplar de honestidade, devolveu a bolsa, sem tomar para si nenhum centavo. Se fosse juntar esse dinheiro com seu salário, levaria no mínimo sete anos. Logo, a direção encontrou o dono, um turista suíço que viajava em companhia da mulher.

 

Projeto social

O projeto social Asas da Esperança faz parte do programa Infraero Social, desenvolvido em vários aeroportos administrados pela empresa.

No aeroporto de Brasília, o Asas da Esperança capacita adolescentes de escolas públicas localizadas no seu entorno, oferecendo curso básico de informática, educação para o autocuidado e técnicas de recepção.

 

 

O projeto está na sua nona turma e já inseriu alguns jovens no mercado de trabalho, embora o projeto seja apenas de capacitação e não contemple diretamente a inserção no mercado. O treinamento dura cerca de três meses e cada turma recebe quatorze alunos.

 

 

Participaram da reportagem os seguintes alunos do Centro Educacional Sigma:

A — Igor Silva Bueno e Augustho César Catúlio Ferreira.
8.ª D — Bárbara Alves, Bárbara Torres, Carolina Hummel, Marcelo Dumoncel e João Marcello Abreu.
F - Nara, Fátima, Thuany, Sophia e Nathália.
8.ª G — Ana Cristina, Juliana, Nathália, Poliana P. e Rafaela.
8.ª I — Dante Avelino dos Santos Rego, Caleb dos Santos Silva, Thiago da Costa Lanzellotti, Lucas Barbosa Cusinato Rodrigues e Moisés Lobo de Souza Choas.
8.ª K — Artur Reis Bugarin, André Ganem Coutinho, Lucas Ribeiro Reis, Ricardo Araújo e Carlos Alberto.

 




  Voltar ao mapa
  (1) A Igrejinha - Igreja   Nossa Senhora de   Fátima
(2) Aeroporto

(3) Catedral

(4) Embaixadas
(5) Escultura Meteoro
(6) Esplanada dos   Ministérios
(7) Lago Paranoá

(8) Lago Sul

(9) Palácio da Alvorada
(10) Parque da cidade -   Sarah Kubitschek
(11) Ponte Juscelino   Kubitschek
(12) Praça dos Três Poderes
(13) Superquadras
(14) Torre de TV