Produção de um ensaio a partir de uma análise do conto TCHAU de Lígia Bojunga Nunes.

SÉRIES PREVISTAS: 7ª E 8ª

AULAS PREVISTAS: 14 horas de aula (mais ou menos) .

PESQUISA E DADOS SOBRE O PERFIL DO ALUNO NESSA FAIXA ETÁRIA:

· capacidade para leitura de textos mais extensos e complexos;
· habilidade para fazer uma leitura mais crítica;
· leitor mais amadurecido;
· condições de inferir o conteúdo simbólico de uma obra, transpondo-a para o contexto sócio-cultural;
· abre espaço para uma postura mais pessoal diante dos fatos narrados;
· a realização de debate torna-se importante nessa fase, pois o confronto entre os diferentes sentidos atribuídos à obra pelos leitores conduz à construção coletiva do significado;
· o aluno já está em condições de confrontar sua posição com a do autor, professor e próprios colegas.

TIPOS DE TEXTOS A SEREM TRABALHADOS NESSA FASE:

· aventuras mais intelectualizadas;
· narrativas de viagens;
· conflitos psicológicos;
· conflitos sociais;
· crônicas e contos.

 

PROPOSTA

1- MOTIVAÇÃO OU ESTÍMULO PARA A RECEPÇÃO DO TEXTO:

* Passar para os alunos o filme Uma babá quase perfeita .
* Resumo do filme: Após o divórcio, o ex- marido, tido como um irresponsável pela ex-esposa, é impedido pelo juiz de passar mais tempo com os filhos.
Daniel Hillard não é um pai comum, ao saber que a ex-mulher procura uma governanta e babá para seus filhos, ele se apresenta para o emprego.
Com uma peruca perfeita, um pouco de maquiagem e um vestido comportadíssimo, ele se torna uma devotada babá inglesa que é contratada de imediato.
O pai, a partir disso, através de situações hilariantes e muito comoventes, constrói uma nova vida para sua família.

2- DEBATE EM SALA DE AULA A PARTIR DE ALGUMAS QUESTÕES PERTINENTES AO FILME:

Levantar questões ( orais ) do tipo:

· O que motivou a separação do casal?
· Por que, ao conceder o divórcio, o juiz determinou que o pai só poderia ver as crianças aos sábados?
· Qual foi a reação dos filhos ao saberem disso?
· A mãe julgava o ex-marido um sujeito um tanto irresponsável. Por que ela pensava dessa forma?
· Como vocês vêem o personagem Daniel Hillard como pai? Era um bom pai? Como era seu relacionamento com os filhos?
· Ao saber que ex-esposa estava a procura de uma babá e governanta, que fez o pai das crianças?
· Que confusões a nova babá aprontou no decorrer da história?
· Que transformações começaram a ocorrer na vida do pai a partir do momento que começa a trabalhar como babá de seus próprios filhos?
· Que transformações ocorreram na vida das crianças e da ex-esposa?
· É comum um tipo de atitude como essa em que o pai se fantasia de mulher e vai trabalhar de babá na casa da ex-mulher para ficar mais perto dos filhos? Que você pensa sobre isso?
· Quando a mãe das crianças descobriu quem era a verdadeira babá que atitude resolveu tomar?
· Como ficaram as crianças após a atitude tomada pela mãe?
· De que modo se reverteu essa situação?

3- LEITURA INDIVIDUAL DO CONTO

*RESUMO DA HISTÓRIA: Uma mulher ( a mãe) decide separar-se do marido e dos filhos para ir embora do país com o homem por quem havia se apaixonado. A filha mais velha, Rebeca, tenta fazê-la desistir.
Nesse conto, a criança é a protagonista da história. É através da visão de Rebeca, a filha, que o leitor toma conhecimento do sofrimento do casal cuja relação foi se desgastando com o tempo. Ela é testemunha da fraqueza da mãe diante dessa nova forma de amor que a domina por completo e da fraqueza do pai que busca o esquecimento do problema na bebida.
Não há no conto, uma prepotência do adulto sobre a criança. Ao contrário, eles parecem buscar na filha o apoio de que precisam. E, embora um tanto triste, a história traz um certo humor no final do conto quando a mãe está indo embora e Rebeca puxa a mala impedindo-a de sair:

Rebeca aproveitou para se agarrar na mala de um jeito que pra mãe levantar a mala ia ter que levantar a Rebeca também
E outra vez a buzina tocou.
A mãe abriu o olho ( parecia que a tonteira tinha passado), disse:
- Tchau. - E saiu correndo.

O Pai volta tarde e encontra um bilhete no travesseiro:

Querido pai

Não deu para eu cumprir a promessa, a mãe foi mesmo embora.
Mas a mala dela ficou. E eu acho que assim, sem mala, sem roupa pra tocar, sem escova de dente nem nada, não vai dar para a mãe ficar muito tempo sem voltar. Não sei. Vamos ver.
Eu arrastei a mala e escondi ela debaixo da sua cama, viu?
Um beijo da
Rebeca.

4- ANÁLISE ORAL DO CONTO:

· Quem eram os personagens do texto?
· Por que motivo a mãe resolveu ir embora do país com outro homem e deixar os filhos com o marido?
· Qual foi a reação de Rebeca ao saber que a mãe ia separar-se de seu pai?
· Como era o pai de Rebeca em relação à esposa e os filhos?
· Como reagiu o pai ao saber que a esposa iria embora?
· Que tipo de amor a mãe sentia pelo outro homem?
· Assim que a buzina do táxi tocou, a mãe correu para pegar a mala, que atitude tomou Rebeca diante dessa situação?
· Quem era a protagonista da história?
· Sob que ponto de vista narrativo é contada a história? Quem é que o autor privilegia?
· Qual é a linguagem adotada pela narradora?
· Qual é o momento de maior tensão ( clímax ) dentro da história?
· Como se resolveu o conflito?
· Que relação poderíamos estabelecer entre o filme visto e o conto lido?
· Que semelhanças poderíamos estabelecer entre os sentimentos das crianças no filme ao saber da separação dos pais e o sentimento de Rebeca ao saber que a mãe iria embora de casa e morar em outro país?
· Como era o pai no filme? Atuante, participativo? Como era o pai no conto?
· Como era a mãe no filme? Muito ocupada, independente , atuante na criação dos filhos? E a mãe dentro do conto?
· Que outras semelhanças e/ou diferenças poderíamos estabelecer entre o conto e o filme?


5- ATIVIDADE EXTRA-CLASSE- Entrevista

O professor pediria ao aluno que assumisse a condição de repórter e entrevistasse algumas pessoas ou colegas de sua idade sobre como encarariam ou encaram (se porventura já passaram por essa experiência ) a situação de separação dos pais.
Após a entrevista (que seria feita fora da sala de aula) , os alunos relatariam as diversas opiniões recolhidas ao grande grupo e comentariam com a classe.

6- ATIVIDADES ESCRITAS

· Em grupo - Elaboração de argumentos que justificariam a atitude tomada pela mãe no filme e a atitude tomada pela mãe no conto TCHAU;
· Em grupo - Criação de um novo final para o conto a partir do clímax da narrativa, juntamente com a justificativa de seu final;
Após, os novos finais criados pelos alunos seriam expostos em um mural dentro da sala de aula.
· Individual - Recriação da história narrada pelo ponto de vista da mãe ou do pai (narrador em 1ª pessoa do singular);
- Leitura oral das histórias criadas;
· Individual - Produção de um texto (ensaio ) em que o aluno faria uma análise escrita do conto de uma forma bem livre e criativa, fazendo uma reflexão pessoal e muito subjetiva sobre o texto lido.
Obs: Seria previamente explicado ao aluno em que se constitui uma análise subjetiva (ensaio) de um texto.


OBJETIVOS

· Criar receptividade para a leitura do texto;
· Desenvolvimento do gosto pela leitura, levando o aluno a fazer dela uma forma habitual de lazer;
· Ampliação do universo vivencial do aluno;
· Internalização de novos recursos de expressão lingüística;
· Identificação e relação de personagens principais e secundárias, bem como suas idéias, atitudes e reações;
· Compreensão e interpretação das mensagens do texto, posicionando-se como indivíduo;
· Oportunizar o aluno a expressar suas idéias próprias em público, auxiliando a desinibição e a autoconfiança;
· Vivenciar a linguagem oral e gestual;
· Desenvolvimento de hábitos como: ouvir com atenção e respeitar opiniões alheias.
· Desenvolvimento da capacidade de observar, imaginar e criar, expressando por escrito suas idéias e pontos de vista.
· Expressar suas mensagens pessoais, refletindo personalidade, nível de reflexão e clareza de pensamento.

AVALIAÇÃO

· Observação do professor no interesse e aplicação dos alunos;
· Comentários da classe;
· Verificação de leitura;
· Realização de diversas atividades orais e escritas a partir da leitura do texto;
· Auto-avaliação.


BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:

NUNES, Lygia Bojunga. Tchau. Rio de Janeiro: Agir, 1985.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura infantil: teoria - análise - didática. São Paulo: s.ed.,1991.

SANDRONI, Laura. De Lobato a Bojunga : as reinações renovadas. Rio de Janeiro: Agir,1987.