Projeto de prevenção ao uso abusivo de drogas no
Colégio Estadual Edmundo Peralta Bernardes

 

Organização e Coordenação:
Professora Valéria Pinto Martins


POPULAÇÃO A SER TRABALHADA:

Toda a comunidade escolar e a sociedade municipal de modo geral.

INTRODUÇÃO:

O uso de drogas é um fenômeno sociocultural complexo, o que significa dizer que sua presença em nossa sociedade não é simples.
Não só existem variados tipos de drogas, mas também são diferentes os efeitos por elas produzidos e a adolescência - período marcado por mudanças e curiosidades sobre um mundo que existe além da família - representa um momento especial no qual a droga exerce forte atrativo.
Faz-se necessário portanto, uma educação preventiva e a conscientização de todos: alunos, pais professores, enfim, toda a comunidade sobre os efeitos e conseqüências maléficas causadas por essas substâncias à vida humana em todos os seus aspectos físico, psíquico e social.
O desafio deste projeto é a luta pela valorização da vida como um bem social a serviço da construção de uma sociedade mais digna e fraterna.

JUSTIFICATIVA:

O projeto surgiu da necessidade de se falar abertamente sobre as drogas e de trocar e adquirir informações sobre o assunto.
Engana-se quem acha que adolescentes aparentemente sem problemas nunca experimentaram drogas. Por isso é importante informar o aluno sobre os malefícios do vício. Essa noção foi a matriz do Projeto "Diga Sim à vida", que está sendo desenvolvido pelo Colégio. Para a psicóloga Roberta Domingues - que respondeu às questões dos estudantes por meio de bate-papo na internet -, é muito comum o jovem ter contato com algum tipo de droga. "Mas há uma grande diferença entre o ato de experimentar e a necessidade de continuar", diz a especialista em adolescentes. Ela atribui a curiosidade dos jovens às próprias características dessa fase da vida. "A adolescência é um momento em que a pessoa enfrenta limitações e frustrações. A droga funciona como uma fuga de tudo isso." Falar sobre drogas, porém, não basta. Segundo Roberta, dependendo da forma como o assunto é tratado, pode até estimular a curiosidade pelo uso. "É preciso mostrar que a droga é algo que vai estragar o corpo."
A ação preventiva tem também como justificativa o diagnóstico da situação de risco da comunidade, que mostra um percentual elevado de pessoas envolvidas com o uso do álcool, tabaco, bem como diversas drogas ilícitas como maconha, cocaína e outras mais.

OBJETIVOS:

Sensibilizar os professores para a abordagem da questão.
Facilitar às famílias a conversação com as crianças e com os jovens.
Desenvolver a espontaneidade e a auto-estima dos alunos para facilitar a comunicação com os pais, não só de modo geral, mas em especial sobre a questão das drogas.
Mobilização da opinião pública escolar, mediante campanhas de alerta.
Tratar a difusão dos conhecimentos sobre drogas.

ATITUDES POSITIVAS NA PREVENÇÃO AO USO INDEVIDO DE DROGAS:

Observar como a educação, no tocante ao uso de drogas, pode acompanhar a vida toda, pois até entre os idosos estão crescendo os problemas a ele associados, notadamente, em relação ao álcool e a certos medicamentos.

INTERVENÇÃO JUNTO AOS PROFESSORES E DEMAIS INTEGRANTES DA COMUNIDADE ESCOLAR:

Sensibilizar o grupo sobre a questão das drogas em sua vida, na sala de aula, na escola e arredores.
Ajudar o grupo a repensar sua atitude diante da questão das drogas.
Conscientizá-los de que o fumo e a bebida alcoólica constituem drogas perigosas e o professor é sempre um exemplo para os alunos.
Facilitar a percepção do grupo acerca de mitos e preconceitos na questão das drogas.
Sensibilizá-los para a participação direta nas atividades de prevenção ao uso indevido de drogas.

PARTICIPAÇÃO:

Professora Valéria Pinto Martins - Português, Inglês e Informática
Professora Regina Lúcia Teixeira - Ciências e Biologia
Professora Nilza Moraes Nogueira - Matemática
Pessoas da comunidade interessadas em atuar e professores de outras áreas que desejarem participar .

ÁREAS ENVOLVIDAS:

Língua Portuguesa, Ciências Biológicas, Geografia, História, Química, Educação Artística e Informática.

ESTRATÉGIAS:

As classes envolvidas trabalharão individualmente e em grupos para pesquisas e debates.
Utilização intensiva do Laboratório de Informática para a execução de cartazes, murais e pesquisas.
Utilização de filmes, vídeos e outros recursos tecnológicos como a Internet para promover através de pesquisa, a orientação, a prevenção e a conscientização contra o uso abusivo de drogas.
Os alunos usarão a Internet para comentar e conversar sobre suas descobertas com especialistas no assunto.

DESENVOLVIMENTO:

1ª ETAPA: Pesquisas de campo.

PERÍODO: 1º BIMESTRE

ATIVIDADES:

1. Entrevistas:

¨ Delegacia (Sargento da Polícia Militar)
¨ Membros do Conselho Tutelar de Paty do Alferes.
¨ Coordenação do Hospital Fundação Miguel Pereira.

2. Questionários
3. Observações
4. Conversas informais
5. Leitura de documentos já existentes
6. Debates em sala de aula.
7. Pesquisas

OBJETIVOS:

¨ Diagnosticar o índice de pessoas - jovens e adultos - envolvidas com drogas.
¨ Conhecer a situação real, as dificuldades e os recursos disponíveis.

PARTICIPANTES: Alunos e professores.

2ª ETAPA: Contato com pessoas diretamente ligadas à área a ser trabalhada.
- médicos, psiquiatras, psicólogos, ex-viciados em drogas etc.

OBJETIVO:

¨ Convidar estes profissionais para discussões e palestras.

PARTICIPANTES: Alunos, professores e familiares dos alunos.

PERÍODO: do 2º ao 4º bimestre

ATIVIDADES:

1. Pesquisas
2. Relatórios
3. Confecção de murais com base nas pesquisas feitas, contendo informações sobre os diversos tipos de drogas, seus efeitos e conseqüências maléficas à vida.
4. Palestras com questionamentos com profissionais e ex-viciados.
5. Criação e apresentação de peças teatrais.
6. Cinema - Filmes que abordem o narcotráfico - O tráfico de drogas
7. Vídeos
8. Entrevistas com ex-viciados.
9. Depoimentos de ex-viciados.



OBJETIVO:

A prevenção e a conscientização.

MATERIAIS NECESSÁRIOS:

¨ Filmes para máquinas fotográficas.
¨ Microfone.
¨ Videocassete.
¨ Tinta para impressora.
¨ Papel, cartolina, tesoura, fita crepe cola, hidrocor
¨ Gravador
¨ Disquetes
¨ Retroprojetor

RECURSOS HUMANOS:

¨ Psicólogos
¨ Médicos
¨ Membros da PM e do Conselho Tutelar.
¨ Psiquiatras.
¨ Ex-viciados
¨ Familiares dos alunos
¨ Professores

APOIO E ORIENTAÇÃO:

Secretaria Nacional Antidrogas - SENAD
Universidade de Brasília (Curso de capacitação à distância)

CRONOGRAMA:

¨ Fevereiro e março: Início do Projeto
¨ Primeira apresentação de atividades: no Dia Nacional da Família na Escola.
¨ As ações serão contínuas durante todo o ano letivo e deverão ser repetidas a cada ano.

TRABALHOS EM GRUPO:

Após cada atividade, acontecerão trabalhos em grupos como discussões e elaboração de relatório sobre o tema específico.

CULMINÂNCIA:

Diversos trabalhos podem encerrar cada atividade, como teatros (fundamentados nas pesquisas feitas); músicas, confecção de murais... Esta escolha ficará a critério de cada grupo e realizadas na própria escola (refeitório, pátio) ou no Centro Cultural do município de Paty do Alferes.

AVALIAÇÃO:

A avaliação deverá acontecer durante todo o processo de realização do projeto, através da observação dos professores baseada em critérios pré-estabelecidos.
Durante o desenvolvimento dos trabalhos é importante que o professor esteja presente para interagir com o processo de trabalho dos alunos, diagnosticando diferenças e conquistas, proporcionando uma análise das etapas do projeto.
Os professores deverão encorajar os participantes do projeto a dizerem "NÃO" a qualquer espécie de droga.
Na conclusão final o professor deverá propor uma avaliação geral de todo o processo.

RESULTADOS ESPERADOS:

Com este projeto, esperamos que as pessoas se tornem mais conscientes sobre os malefícios causados pelo abuso de drogas à vida humana e que devem sim, buscar sempre formas de melhorar a sua qualidade de vida, agindo com responsabilidade, preservando a nossa maior fonte de felicidade e realização: a saúde.

"Dizer SIM à vida significa estar receptivo a tudo o que o mundo nos proporciona de bom e prazeroso, ser capaz de vencer as pressões negativas da massificação, do consumismo, da corrupção e da violência."

 

Palestras realizadas no refeitório da escola

 

 

Dr. Luiz Augusto (Neurologista e Psiquiatra)

Assunto: Drogas lícitas e ilícitas