1. Central de Atualidades
  2. Reportagens
  3. Crianças do Brasil, Crianças do Mundo
Crianças do Brasil, Crianças do Mundo: Nosso país é um dos mais atuantes no maior prêmio pelos direitos da criança.

Por César Munhoz
15/04/2009

"Meu primeiro contato com o Prêmio das Crianças do Mundo aconteceu no 6.º ano, em 2007, por meio das professoras de Ensino Religioso e de Geografia. Nesse ano em que tive contato com o prêmio, eu apenas assisti a apresentações de alunos e votei no meu nomeado favorito. Já no ano seguinte, fizemos apresentações em sala de aula e também para outras turmas. Além disso, assistimos a outras apresentações e votamos. Por meio do prêmio, pude conhecer outras realidades. Eu nem sabia da existência do Camboja! Não imaginava que houvesse tanto sofrimento lá. E não imaginava que existissem prêmios como esse, que ajudam organizações que não são conhecidas e não pedem nosso dinheiro, mas a nossa voz."

A voz é de Thais Carneloz, estudante do Colégio Metodista de São Bernardo do Campo (SP), hoje no 8.º ano do Ensino Fundamental. É também a voz de dezenas de milhares de jovens brasileiros que participaram das primeiras nove edições do Prêmio das Crianças do Mundo. Desde 2000, ele é o principal evento mundial a chamar a atenção da opinião pública internacional não só para os direitos das crianças, mas principalmente para a necessidade de dar voz a elas.

Como veremos a seguir, o Brasil, além de ser um dos países mais atuantes no prêmio, é também um dos que têm mais histórias interessantes para contar sobre a participação nessa iniciativa. O portal conversou com algumas das escolas, educadores e estudantes brasileiros mais entrosados com o Prêmio das Crianças do Mundo. Veja, a seguir, o que eles têm a dizer.

Quem cuida do Prêmio das Crianças do Mundo pelos Direitos da Criança (WCPRC) hoje é a Fundação Prêmio das Crianças do Mundo. A organização não governamental que deu origem a ela foi criada em 1979, instituído como o Ano Internacional da Criança pelas Nações Unidas. Naquele ano, vários eventos foram organizados pelos países membros para discutir as condições de vida das crianças em todo o mundo. Essas discussões contribuíram para que, em 1989, fosse assinada a Convenção Internacional dos Direitos da Criança, um tratado que determina as regras que os países precisam seguir para garantir o bem-estar das crianças. Todos os países membros assinaram a convenção, menos a Somália e, acredite, os Estados Unidos.

• Ainda não conhece o prêmio? Clique aqui e fique por dentro.