1. Central de Atualidades
  2. Reportagens
  3. Rússia: das origens ao império

Por César Munhoz

Gorbatchev foi o primeiro líder soviético nascido após a Revolução Bolchevique. Desde cedo, foi um estudante notável. Formou-se em Direito — o que o preparou para entrar no Partido Comunista da União Soviética, em 1955 — e galgou a posições políticas até ingressar no Comitê Central do partido, em 1971, e ser promovido a integrante do Politburo (a central executiva da liga) em 1980. Era próximo do secretário-geral Konstantin Chernenko e foi escolhido como seu sucessor, tornando-se, portanto, o governante da União Soviética em 1985.

A família de Gorbatchev passou por maus bocados durante o governo de Stalin. Seus avós, por exemplo, foram deportados por serem grandes proprietários de terras. Talvez por isso e pelas várias viagens que fez ao mundo ocidental depois que passou a integrar o alto escalão do partido, ele tenha chegado ao poder com uma série de idéias reformistas.

Essas idéias, que pareciam ótimas, tiveram sua expressão máxima nas revolucionárias medidas perestroika e glasnost. A primeira tinha como objetivo adequar a economia soviética (criticamente estagnada) à realidade mundial. A segunda, implantada mais tarde, em 1988, visava “tirar a ferrugem” da estrutura política soviética, tornando-a mais transparente, aumentando a eficiência do Estado, renovando o quadro de pessoal e eliminando a perseguição a seus dissidentes. Tais medidas eram impopulares entre a elite conservadora, que promoveu diversos boicotes contra Gorbatchev e tentou até um Golpe de Estado.

Além disso, como veremos a seguir, o líder soviético foi criticado pelos reformistas radicais por promover reformas a passos lentos. Com o passar dos anos, essas e outras questões minaram a governabilidade de Gorbatchev e, conseqüentemente, a existência da URSS.

Quando Gorbatchev assumiu o poder, uma das maiores preocupações da URSS era o alto índice de alcoolismo entre a população. Ele tentou resolver o problema aumentando os preços da bebida, restringindo as vendas e prendendo quem aparecesse bêbado no meio da rua. Além de não conseguir diminuir o problema, as medidas acabaram por agravar a crise econômica soviética, já que muitas fábricas fecharam e provocaram o aparecimento do mercado negro de bebidas no país.

  | próximo
   
Rússia: o início do fim
Entre reformas, revoltas e críticas
Fora de controle
Os agentes externos da queda