A verdade sobre as queimadas


Aproximadamente 95% das queimadas que ocorrem em áreas já desmatadas são caracterizadas como queimadas agrícolas.

Martin Garcia/MMA
Área desmatada e queimada na região de Porto de Moz, no Pará.


Quando os agricultores desmatam pela primeira vez para o cultivo, costumam usar essa técnica rápida e barata para limpar o terreno, eliminar restos de culturas, facilitar a colheita, combater pragas e doenças, permitir a brotação precoce em alguns tipos de pastagens, etc. Além disso, eles acreditam que as cinzas servem de nutrientes para o solo. Mas as queimadas destroem a camada de húmus, juntamente com os microorganismos e restos vegetais e animais que fertilizariam o solo. E o pior é que elas precisam ser realizadas cerca de oito vezes para que o solo fique totalmente limpo para a prática agrícola, afetando profundamente a fertilidade e gerando baixa produtividade. Depois disso, para que essas terras voltem a produzir, é preciso usar fertilizantes químicos e orgânicos, mas raramente se alcança a produtividade que outras formas de limpeza, ambientalmente corretas, oferecem.


anterior |
   
Desmatamento da Amazônia é o segundo maior da história
A evolução da área desmatada
Monitoramento descobre novos vilões
A retirada ilegal de madeira
Pastos no lugar da mata
O cultivo de soja
A verdade sobre as queimadas