Trote Solidário
     

Não basta dar aula, tem que ser ético

Para o psiquiatra Içami Tiba, o professor que apenas "dá sua aula" é como um varredor que joga no chão seu maço de cigarros

O país está doente. A doença? Para o psiquiatra Içami Tiba, é a falta de ética. Durante a palestra "Ética na Educação Formal e Não-Formal", nesta sexta-feira na Educar 2001, ele expôs os fundamentos de sua Teoria da Integração Relacional, que pretende orientar os professores a tratar o tema. Vestindo a camisa de educador, afirma: "Nós temos uma tarefa muito maior, que é ensinar os filhos dos outros a conviver." E que debater ética em sala de aula é cuidar da "saúde social" dos alunos.

Içami Tiba enfatizou que a Ética não é apenas uma "teoria filosófica" e que analisar com rigor os próprios comportamentos ajuda a superar as limitações em relações pessoais e no trabalho. Ele convidou os educadores a avaliar sua vida profissional e disse que o professor que apenas cumpre minimamente suas obrigações não "está sendo ético".

Vitória de Pirro

Ele comparou um professor que "dá apenas sua aula porque é pago" a um varredor que só varre para frente e, assim que termina de fumar seus cigarros, joga o maço no chão e o deixa para trás. Comparou-o ainda a um general que só consegue vitórias que não compensam. "Muitas vezes nos empenhamos em tarefas que nos levam à vitória de Pirro", disse, em alusão ao rei que derrotou os romanos na Batalha de Asculum, mas à custa de tantas baixas que se convenceu de que sua guerra não valia a pena.

Sobre as dificuldades de transmitir valores éticos, Içami Tiba disse que o grande desafio é conseguir a consciência dos alunos para a importância de cultivar comportamentos éticos. Sem alunos, segundo Tiba, o professor fica como "um beija-flor tentando apagar um incêndio na floresta". Ele admitiu ser árdua a tarefa e que a maneira de enfrentá-la é "quebrando hierarquias".

Assembléia permanente

Para tanto, seria preciso se associar aos alunos, "ter o espírito de quem quer acompanhá-los", ajudá-los a formar grupos de trabalho e não os intimar a tratar o tema "com um olhar de cima para baixo". Ele sugere que os professores se mobilizem para discutir o tema, assim como os alunos. "Os alunos vivem em assembléia permanente para criticar o comportamento dos professores", ironizou.

Içami Tiba também alertou para não se confundir ética com valores morais. A moral seria a base dos comportamentos da sociedade, que não necessariamente seriam éticos. Para ilustrar sua idéia, ele usa um exemplo drástico: a amputação do clitóris de milhões de meninas, praticada em diversos países africanos. "Não adiantam valores morais, se eles não são éticos", disse. "A ética relacional é muito mais do que os padrões de comportamento que inventamos", concluiu.

***

Vitor Casimiro
Exclusivo para o Educacional



 
Página Inicial
   
Juventude transviada
   
A toalha rendada do conhecimento
       
  A educação americana no divã  
       
  Interdisciplina-ridade de A a Z  
       
  Não basta dar aula, tem que ser ético  
       
  A escola como ela é