Lula é eleito o novo presidente do Brasil

Com 61% dos votos válidos, Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito ontem (27/10) o 20.º presidente do Brasil escolhido através do voto direto. Lula termina sua campanha com um número recorde de eleitores: 52.750.337. É o primeiro líder de um partido de esquerda eleito presidente no país e, no cargo, o primeiro operário, o primeiro civil sem diploma universitário e o primeiro natural de Pernambuco a exercê-lo como titular.

Mas o caminho até o Palácio do Planalto não foi fácil. Foram quatro candidaturas consecutivas. Em 1989, ele quase conseguiu, tendo sido preterido em favor de Fernando Collor. Cinco anos depois, foi vencido não por um candidato, mas por um plano econômico, perdendo pela primeira vez para FHC. Há quatro anos, foi derrotado pelo primeiro presidente que concorreu à reeleição. Mas agora, em 2002, Lula venceu o economista José Serra, 60, candidato oficial do governo, duas vezes ministro de FHC e uma das principais lideranças do PSDB.

Após 22 anos de existência do partido, três derrotas e oito anos de oposição ao governo de Fernando Henrique, o ex-torneiro mecânico de 57 anos chega à Presidência da República.

Desafios

Agora Lula terá a difícil tarefa de reunir uma base de apoio sólida no Congresso Nacional, capaz de votar as reformas importantes de que o Brasil precisa e que possa sustentá-lo diante da crise econômica e de credibilidade junto a setores do mercado que tanto preocupa o país. Isso sem falar na pressão que sofrerá de seus eleitores, que mais do que nunca depositaram suas esperanças num governo que seja popular — mas não populista — capaz de fazer mudanças sociais que não comprometam os avanços econômicos já conseguidos e façam o país passar por problemas parecidos com os que a Argentina atravessa.

Sinal da aproximação do PT com setores conservadores é a escolha do empresário José Alencar Gomes da Silva, 71, para vice na chapa. Político mineiro do PL, o senador José Alencar será um dos interlocutores do novo governo com setores empresariais e conservadores do establishment.

A guinada ao centro também rendeu à candidatura a adesão dos ex-presidentes José Sarney (PMDB-AP) e Itamar Franco (sem partido), do ex-governador Orestes Quércia (PMDB), dos empresários Eugênio Staub (Gradiente) e Josmar Avelino (ex-presidente da Klabin) e a declaração do ex-ministro do regime militar Delfim Netto (PPB-SP) de que o PT faria um governo social-democrata "de verdade".

O petista conta com uma equipe de articuladores que costurou apoios antes considerados inimagináveis. Primeiro silenciou a ala mais radical do partido. Depois, fez visitas à Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), à Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo), à Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), à Fierj (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) e à Escola Superior de Guerra. Em todos os encontros, recebeu elogios e aplausos.

No dia 1.º de janeiro do próximo ano, Lula recebe o cargo diretamente das mãos do presidente Fernando Henrique Cardoso.

Clique aqui e conheça a biografia do mais novo presidente do Brasil.

Clique aqui e saiba mais sobre alguns dos principais desafios que Lula e sua equipe vão enfrentar nos próximos quatro anos.

 

  ||> Início
||> No dia da eleição
||> Justiça Eleitoral
||> Calendário Eleitoral
||> Glossário
||> Perfil dos candidatos
||> Lula é eleito presidente
Lula e Serra continuam na corrida pela Presidência

A contagem dos votos confirmou o segundo turno entre os candidatos. Agora, recomeça a busca por alianças que garantam a vitória no dia 27 de outubro.

Jovem brasileiro prefere não votar

Pesquisa do Unicef revela que o número de adolescentes em idade eleitoral que irão votar diminuiu da última eleição para a atual.

Presidencialismo x Parlamentarismo
Entenda quais são as diferenças e os benefícios entre os principais modelos de governos no mundo.
Voto Proporcional x Voto Distrital
Qual modelo representa melhor o eleitorado? Por que tanta polêmica em torno dos dois sistemas?
As eleições nos EUA
O país mais democrático do mundo parece ter problemas para eleger seus presidentes. Mas será que essa "bagunça" não é saudável para a democracia?
Problemas Nacionais

Confira a série de Notícias Comentadas que preparamos para que você esteja por dentro das principais questões que o próximo governo terá que enfrentar.