1. Central de Atualidades
  2. Reportagens
  3. Brasil embaixo d'įgua
   
Doenças relacionadas às enchentes
 
Prefeitura de Caratinga
Homem caminha por avenida inundada em Caratinga, MG. O alto risco de contaminação durante as enchentes expõe a população a inúmeras doenças e ao aumento na incidência de acidentes como afogamentos.
Se já não bastassem todos os transtornos que uma enchente traz, há ainda, após o recuo das águas, o alto risco de contaminação, que expõe a população a inúmeras doenças e ao aumento na incidência de acidentes como afogamentos, lesões corporais e choques elétricos. Há também um aumento na proliferação dos vetores de doenças, como ratos e mosquitos, e de picadas de animais peçonhentos, como aranhas, escorpiões e cobras.
A maioria das doenças ocorre devido à ingestão de água contaminada ou pelo simples contato com essa água. Entre as principais doenças, temos:


LEPTOSPIROSE

Causador: bactéria Leptospira interrogans.
Transmissão: é uma zoonose transmitida principalmente pela urina de ratos. A bactéria se reproduz na água e em solos úmidos e penetra na pele e nas mucosas dos seres humanos quando estes entram em contato com a água ou com a lama das enchentes.
Sintomas: febre, náuseas, diarréia, dores musculares e de cabeça (muito parecidos com os da dengue). A infecção se torna grave quando atinge os rins, o fígado e o baço, podendo ser fatal em alguns casos.
Prevenção: evitar ter contato com água e lama contaminadas e nunca consumir água ou alimentos que tiveram contato com a enchente. Medidas de combate aos ratos e prevenção contra as inundações também são eficazes.

Para saber mais:

Enciclopédia
Fiocruz


HEPATITES A e E

Causador: infecção hepática causada pelo vírus da hepatite.
Transmissão: água e alimentos contaminados ou de uma pessoa para outra.
Sintomas: febre, pele e olhos amarelados, náusea e vômitos, mal-estar, dores abdominais, falta de apetite, urina escura e fezes esbranquiçadas.
Prevenção: saneamento básico adequado, tratamento da água para consumo humano e ingestão somente de alimentos bem lavados ou cozidos.

Para saber mais:
Enciclopédia
Fiocruz


FEBRE TIFÓIDE

Causador: bactéria Salmonella typhi.
Transmissão: por meio de água e alimentos contaminados ou contato com pessoas doentes. Doença exclusiva dos seres humanos, cuja única porta de entrada é o sistema digestório.
Sintomas: febre, dor de cabeça, cansaço, sono agitado, náusea, vômito, sangramentos nasais, diarréia. Se não tratada, pode levar à morte por hemorragia intestinal.
Prevenção: saneamento básico adequado, tratamento da água para consumo, não acumular lixo e manter as pessoas doentes em isolamento.

Para saber mais:
Enciclopédia
Fiocruz


CÓLERA

Causador: bactéria Vibrio cholerae.
Transmissão: água e alimentos contaminados.
Sintomas: a bactéria libera uma toxina que causa intensa diarréia.
Prevenção: saneamento básico com tratamento adequado da água e do esgoto.

Para saber mais:
Enciclopédia
Fiocruz


DENGUE

Causador: vírus da dengue dos tipos 1, 2, 3 e 4.
Transmissão: por meio da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti.
Sintomas: febre alta, fortes dores musculares, nas articulações e de cabeça. Manchas vermelhas no corpo, inchaço, podendo haver sangramentos. A forma hemorrágica é a mais grave e pode ser fatal.
Prevenção: combate ao mosquito transmissor interrompendo seu ciclo de vida. Evitar manter locais com água parada, que é onde a fêmea coloca seus ovos.

Para saber mais:
Enciclopédia
Reportagem

anterior |
   
 
 
Brasil embaixo d’água
Um problema de todos
Previna-se!
Doenças relacionadas às enchentes
   
Saiba como se formam as enchentes
Especial Ano Internacional da Água (2003)
   
Se você mora em alguma região afetada por enchentes e gostaria de nos enviar o seu relato, entre em contato conosco