Os gibis invadem o cinema

As historinhas em quadrinhos ficaram tão famosas que, atualmente, representam uma enorme fonte de renda para a indústria do cinema de Hollywood. Mas, para os verdadeiros fãs, o lugar dos heróis sempre será os gibis.

por Diogo Dreyer


Divulgação
Filme do herói aracnídeo impressionou tanto fãs como pessoas não familiarizadas com os gibis. Isso garantiu mais duas continuações do filme.
Homem-Aranha, X-Men, Super-Homem, Batman... A popularidade dos super-heróis nunca esteve tão em alta, ainda mais depois do salto dos quadrinhos para as telas do cinema. E você pode ainda viver suas aventuras nos videogames e na TV. Eles estão em toda parte!

Mas a essência das suas peripécias continua nas histórias em quadrinhos ou, como também são conhecidas, HQs. Para os fãs, é até interessante poder ver as sagas de seus heróis na telona do cinema, mas não há nada como ler e reler as HQs e esperar até o próximo mês para saber o desfecho da aventura e acompanhar diversas revistas que, muitas vezes, contam até partes diferentes da mesma história.

A transposição de super-heróis dos gibis para a TV não é novidade. Nas décadas de 50 e 60, surgiram várias séries televisivas nos EUA, como o Zorro, Capitão Marvel, Flash Gordon e as clássicas aventuras de Batman e Robin, estreladas pelo gordinho Adam West — que você ainda pode ver em alguns canais de TV a cabo até hoje. Na década de 70, faziam muito sucesso as séries do Homem-Aranha e do herói verde, o Incrível Hulk.

No final da década de 70 e 80, o cinema descobriu a mina de ouro: o sucesso foi a série Super-Homem, que faturou vários Oscars e, em quatro filmes, lançou o ator Christopher Reeve ao estrelado. Mais tarde, em 1995, por ironia do destino, o ator caiu do seu cavalo e acabou ficando tetraplégico.

Nos anos 90, o principal herói a emprestar sua máscara para Hollywood foi o Batman, quando o diretor Tim Burton criou uma Gotham City supergótica para o homem-morcego, na pele do ator Michael Keaton, enfrentar vilões como o Coringa (Jack Nicholson) e o Pingüim (Danny DeVito).

Mas a febre atual de Hollywood em levar os heróis para a telona voltou com força depois do sucesso de X-Men, o filme, de 2000, que arrasou nas bilheterias. Em 2002, foi a vez do Homem-Aranha, do diretor Sam Reimi, que, através da computação gráfica, encheu os olhos de milhões de pessoas em volta do mundo e foi considerado uma das melhores adaptações de super-heróis jamais feita para o cinema.

E pode esperar que ano que vem tem mais, com a adaptação do Incrível Hulk e a continuação do filme dos X-Men, além de já estarem sendo produzidos mais dois filmes do herói cabeça de teia, o Homem-Aranha. Outros dois filmes com o Super-Homem também estão sendo preparados, inclusive um deles teria a ilustre participação do Batman.

 


   

Os gibis invadem o cinema   As HQs no Brasil   Os gibis pelo mundo