1. Central de Atualidades
  2. Reportagens
  3. A Imigração Japonesa
 

O mangá invade o Brasil

Depois de causar uma revolução nos quadrinhos do mundo todo, o mangá — a HQ japonesa— está atraindo inúmeros leitores e influenciando toda a nova geração de desenhistas no Brasil.

Personagens com olhos grandes, feições infantis, cabelos coloridos e roteiros cheios de magia, aventuras e monstros. Assim é o mangá, a tradicional história em quadrinhos japonesa que, recentemente, invadiu o mercado brasileiro e está influenciando a nova geração de desenhistas de HQ do país.

Selma Mitie Utrabo: "Os mangás são impregnados de aspectos da cultura japonesa."

“A riqueza de personagens do mangá inspira muita simpatia, e suas histórias são impregnadas de aspectos da cultura japonesa, como hábitos de alimentação e vestimenta. Os animes — que são as versões do mangá para desenhos animados — trazem também a trilha sonora oriental”, conta Selma Mitie Utrabo, que há 14 anos é dona da Itiban Comic Shop, em Curitiba, especializada em HQs e RPGs. Ela conta que alguns dos adolescentes são tão apaixonados por esse tipo de desenho que estão aprendendo a língua japonesa só para acompanhar as histórias de maneira melhor.

A popularização do mangá deve-se aos animes — principalmente Cavaleiros do Zodíaco e Dragonball Z. Nos EUA, as técnicas do mangá revolucionaram a indústria dos quadrinhos, que redesenhou, valendo-se delas, super-heróis como X-Men e Homem-Aranha. “Além disso, os roteiros dos mangás — produzidos e elaborados com base no drama japonês — tiveram ótima aceitação entre os ocidentais”, conta Selma.

No Brasil, o mangá deu origem a uma nova corrente nas HQs. “O mangá já tinha invadido os EUA e a Europa antes de chegar ao Brasil, e os animes contribuíram muito para isso. Agora, já vemos sua influência nos traços, na estética e na forma narrativa dos novos quadrinhos de ação”, diz a empresária.

O primeiro produto dessa corrente é o Mangá Tropical, que traz seis histórias que, em vez do Japão, têm o Brasil como cenário. O Mangá Tropical tem a participação de onze autores, e uma nova edição deve ser lançada em 2004.

Capa da publicação "Mangá Tropical".

Entre as revelações do mangá brasileiro estão os autores Erica Awano, Alexandre Nagado, Fábio Yabu, Daniel HDR e Marcelo Cassaro, responsável pelos maiores sucessos nacionais, como Holy Avenger e Victory — que vai ser lançado nos EUA.

Os mangás mais vendidos no Brasil são Dragonball Z, Cavaleiros do Zodíaco, Samurai X, Yuyu Hakusho e Love Hina.

No Japão, os mangás representam 40% de todas as publicações feitas no país. O mercado editorial dessas HQs movimentou, em 2000, cerca de US$ 2,5 bilhões. “A técnica do mangá é uma verdadeira instituição no Japão, e se trata de um mercado extremamente fechado para os novos talentos, até mesmo para os próprios japoneses”, afirma Selma.

Serviço: Itiban Comic Shop. Av. Silva Jardim, 845, Curitiba (PR), telefone: (41) 232 5367.


 

anterior | próximo
   


A chegada ao Brasil
De volta à terra natal
O mangá invade o Brasil
A arte de comer peixe cru
Mapa dos movimentos migratórios para o Brasil
Conheça também a história da imigração alemã