Os japoneses se espalham pelo mundo

Com tamanha mudança na estrutura econômica e política no Japão, o que teria acontecido para que milhares de japoneses abandonassem seu país de origem e migrassem para os mais distantes locais, como Estados Unidos, Argentina, Peru e Brasil?

A rápida industrialização e modernização de máquinas e técnicas produtivas incentivada pelo imperador Mutsuito acabou por expulsar das áreas rurais milhares de pessoas que não tinham mais ocupação e espaço nos “novos tempos”. Para tentar resolver o problema demográfico e de trabalho, o governo fechou acordos com países em que era necessária mão-de-obra, como o Brasil.

O primeiro acordo entre Brasil e Japão foi em 5 de novembro de 1895, denominado de Tratado de Amizade, Comércio e Navegação, e previa a vinda de três mil imigrantes japoneses para as nossas lavouras de café. Mas, apesar do acordo ter sido assinado em 1895, o primeiro navio chegou apenas em 18 de junho de 1908, o famoso Kasato-Maru, trazendo os primeiros 781 japoneses ao Porto de Santos. Havia na embarcação mais 12 tripulantes.

Não houve uma continuidade no fluxo de imigrantes japoneses, em especial durante a Segunda Guerra Mundial, época em que eles eram vistos com desconfiança pelas autoridades brasileiras, pois o governo japonês era aliado da Alemanha de Hitler e da Itália de Mussolini. O último grupo de imigrantes japoneses chegaria no ano de 1973, a bordo do navio Nippon Maru.

anterior | próximo
   
A Restauração Meiji: o governo iluminado
Os japoneses se espalham pelo mundo
Japoneses no Brasil: longa e difícil adaptação
Brasil e Japão na atualidade