texto

Falando de ciência... Energia nuclear


por Alex Balduíno

Quando o tema é energia nuclear, quase instantaneamente pensamos em lixo radioativo (rejeito radioativo) ou bomba nuclear. O assunto é com frequência abordado pela imprensa nacional e internacional e, em sua maioria, apenas os aspectos negativos acerca do uso da energia nuclear são divulgados. A desconfiança acerca da segurança em torno do processo de geração de energia nuclear e tudo o que envolve radioatividade foi instalada depois de abril de 1986, com o vazamento na Usina de Chernobyl, na Ucrânia, quando o mundo conheceu um dos piores desastres causados por um acidente nuclear. Após esse acidente, diversas medidas de segurança foram criadas e são rigorosamente aplicadas por todos os países que detêm esse tipo de tecnologia.

Mais recentemente, o tema voltou a ser um dos mais debatidos pelo público mundial, principalmente depois que o Irã resolveu insistir no desenvolvimento da tecnologia para a produção de energia nuclear. Neste caso, a ressalva feita pelos órgãos internacionais é dada pela geração de plutônio, um dos subprodutos do processo de geração de energia nuclear, que pode ser usado na fabricação de bombas atômicas. Os órgãos internacionais acreditam que a real intenção do governo iraniano seja fazer bombas, e não produzir energia. Se é ou não, não vem ao caso aqui. Nós não discutiremos isso nesta entrevista.