texto

Revolta da Chibata


Por: Priscila Grahl

Acompanhe a história do corajoso levante que mudou uma parte importante da História do Brasil

Na manhã quente da primavera de 22 de novembro de 1910, o Rio de Janeiro acordou alvoroçado. Quem olhou para o mar, como Oswald de Andrade, se surpreendeu. O escritor descreve:
“vi imediatamente na baía, frente a mim, navios de guerra, todos de aço, que se dirigiam em fila para a saída do porto. Reconheci o encouraçado Minas Gerais que abria a marcha. Seguiam-no o São Paulo e mais outro. E todos ostentavam, numa verga do mastro dianteiro, uma pequenina bandeira triangular vermelha. Eu estava diante da revolução.”
(Relato disponível em: Projeto Memória. Revolta da Chibata. Acesso em: 11 nov. 2010.)

Essa foi a visão de Oswald de Andrade. Mas o que você acha que a população carioca pensou ao deparar-se com diversos navios de guerra apontados para ela? Por que eles estavam voltados para a Cidade Maravilhosa? O que se passava dentro dos conveses daqueles navios? Vamos descobrir...

Crédito: Centro de Comunicação Social da Marinha.

O encouraçado São Paulo: uma das embarcações que participou da Revolta da Chibata.