1. Central de Atualidades
  2. Reportagens
  3. Star Wars : o mito das estrelas

Leia a seguir trechos da entrevista com Roberto C. Fabrício, 31 anos, vice-presidente do Conselho Jedi de São Paulo, um dos maiores fãs-clubes da série no Brasil.

Quantos anos você tinha quando viu um dos filmes da série pela primeira vez?
Eu tinha sete anos. Minha mãe foi a "culpada": foi ela quem me levou ao cinema quando o primeiro filme da saga (Guerra nas Estrelas - Uma Nova Esperança) estreou no Brasil. Virei fã na hora!

Em que sentido a saga de Star Wars influenciou a sua vida? O que ela significa para você?
Os filmes de Star Wars influenciaram minha forma de ver a vida, principalmente com relação a meus conceitos do que é certo e do que é errado. Além disso, a saga mostra que é preciso ter esperança, sempre, e que as coisas que fizermos com o coração certamente irão gerar bons frutos.

Com qual personagem da série você se identifica mais? Por quê?
Acho que com Obi-Wan Kenobi, pois ele não só demonstrou ter muita sabedoria como também sua devoção pela paz e pela justiça fez com que ele se sacrificasse para que a ordem pudesse voltar a reinar na galáxia.

O que você achou do Episódio I? E de Jar Jar Binks?
Ao contrário da maioria dos fãs, eu não havia criado muitas expectativas com relação ao lançamento do Episódio I, por isso, esse filme não chegou a me desapontar, ou seja, ele me agradou, sim, embora não tenha a qualidade ou o impacto dos filmes anteriores. Jar Jar também não me incomodou muito: ele foi o contraponto humorístico do filme, coisa que nos filmes anteriores cabia aos dróides R2-D2 e C3-P0, que não estão juntos nesse episódio. O problema é que Jar Jar teve um caráter exageradamente "desastrado", e isso irritou muitos fãs da série.

Qual é a sua expectativa em relação a O Ataque dos Clones?
Tenho acompanhado muitas matérias a respeito desse filme - até fiz algumas palestras a respeito - e posso dizer que, ao contrário do primeiro, tenho expectativas muito otimistas com relação a ele, não só porque os efeitos especiais estão ainda melhores (preste atenção em Mestre Yoda!), mas também pelo fato de o próprio roteiro ter sido feito por Lucas, com a colaboração de Steven Spielberg e Francis Ford Coppola. Acho que será maravilhoso por isso, apesar de Lucas ser um mau "diretor de atores".

Você acha que o sucesso de filmes como O Senhor dos Anéis e Harry Potter influenciou na produção do Episódio II?
Na verdade, não. O que acontece é que histórias como O Senhor dos Anéis já influenciavam Star Wars muito antes de se tornarem filmes. As principais histórias que serviram de base para a criação da saga de Lucas foram, num primeiro momento, as lendas do rei Artur (qualquer relação entre Obi-Wan e Merlin não é mera coincidência), e, a partir daí, temos a influência direta de diversos contos e lendas mitológicas, como Jasão e os argonautas, o labirinto, a lenda de Orfeu e Eurídice, a de Órion e Diana, etc.

O Conselho Jedi de São Paulo existe desde 1999, já realizou diversos encontros no Estado de São Paulo e também convenções anuais, as já famosas JediCons. Este ano, a JediCon será realizada em São Paulo (dia 29 de junho) e no Rio. Para obter mais informações sobre o CJSP e sobre a JediCon 2002, acesse o site. Lá, você também encontra fotos e informações sobre a série e encontros anteriores.