A família

Jorge Amado nasceu na Bahia, numa cidade chamada Itabuna, o pai era fazendeiro, produtor de cacau. Da família formada por João Amado de Faria e Eulália Leal nasceram, além de Jorge, Jofre, Joelson e James.

Perto das terras do pai passava o Rio Cachoeira, que numa enchente impressionante invadiu a fazenda e destruiu toda a plantação, encharcou a terra e inviabilizou a continuidade do plantio. Esse fato, associado a uma epidemia de varíola, obrigou a família a se mudar e os Amado foram ganhar a vida em Ilhéus. Lá, Jorge viveu dos dois aos dez anos de idade.

Primeira década de vida completada e o pequeno Jorge desembarca em Salvador. Depois vai para o Rio de Janeiro e, a pedido do pai, estuda Direito.

Em 1933 se casou com Marta Garcia Rocha e com ela teve, dois anos depois, sua primeira filha, a Eulália. O casamento durou até 1941.

Em 1945 casou-se com Zélia Gattai. O primeiro filho desse encontro, que durou até os últimos minutos de sua vida, nasceu em 1947, o João Jorge.

Em 1951 duas notícias grandiosas mexem com o coração de Jorge: morre sua primeira filha, Eulália e nasce sua segunda, a Paloma.

A família se habituou às particularidades do seu chefe e entendeu que tanto tinha que abrir mão de sua presença em algumas situações, como acompanhá-lo na itinerância de trocas de cidades, estados, países.